sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

SER AMIGO DA SABEDORIA

Na Grécia antiga, muito antes de Cristo, nasceram as ideais do que é ser sábio. E os primeiros sábios estavam interessados na ideia de Deus. Nessa aula, vamos conhecer um grande sábio da Antiguidade: Pitágoras. Ter sabedoria não é simplesmente entender muitos assuntos. É saber viver e enfrentar os problemas da existência. Os gregos achavam que os sábios devem observar a vida e saber o que é certo e o que é errado; olhar para dentro de si e desenvolver o melhor que tem, consertando o que for negativo. Desse modo o ser humano consegue ser feliz. Você gostaria de alcançar sabedoria? Já consegue perceber o que existe de mau e bom no mundo? Pratica a bondade e a compaixão com as pessoas, os animais e a natureza? Procura sentir Deus? Enfrenta com calma os problemas que aparecem em casa, na escola ou em qualquer outro lugar? Enxerga-se por dentro, vendo o que tem de melhor e de pior? Se você já consegue fazer tudo isso, está no caminho para atingir a sabedoria! PITÁGORAS SEGUNDO CÍCERO Marco Túlio Cícero (106 – 43 a.C.) foi um filósofo e orador romano que recebeu a influência dos filósofos gregos. Neste trecho de um de seus livros, ele conta como nasceu a palavra filosofia e qual a função do filósofo. Pitágoras teria tido uma conversação sábia com Leão, o tirano de Filonte. Como este último admirasse seu gênio e sua eloquência, indagando em que arte se apoiava, Pitágoras teria declinado do epiteto de “sábio” e respondido que não conhecia nenhuma arte, mas que era “filosofo”. Leão espantou-se com este termo novo e perguntou quais eram as diferenças entre os filósofos e os outros homens. Pitágoras respondeu que a vida humana era comparada a essas assembleias às quais a Grécia inteira comparecia, por ocasião dos grandes jogos: Alguns vêm aí para lutar e para obter uma coroa; outros tratam de fazer comércio; outros, enfim, não se interessam nem pelos aplausos, nem pelo ganho, mas vem para ver, simplesmente, o que se passa nos jogos. Do mesmo modo, na vida, alguns são escravos da glória, outros do dinheiro, mas outros, mais raros, observam com cuidado a natureza: São estes que chamamos de amigos da Sabedoria, de filósofos. (Cícero. Tusculanas. Citado em: Jean Francois Mattéi. Pitágoras e os Pitagóricos. São Paulo, 2000.) G L O S S Á R I O: Declinado → recusado, negado; Epiteto → título, qualificativo; Eloquência → capacidade de falar bem; Tirano → que tomou o poder a força.

Nenhum comentário:

Postar um comentário